SINTAF     -     Sindicato dos Trabalhadores da Actividade Financeira - sintaf@sintaf.pt     -    Telef. 218 124 992

Os trabalhadores bancários estão com uma forte pressão sobre os seus postos de trabalho.
 
A digitalização e os avanços tecnológicos, nomeadamente a Inteligência artificial, tem, nos últimos anos, entrado nas empresas ajudando na obtenção de lucros recorde de todo o sector financeiro, os trabalhadores por seu turno não vêem espelhados no seu salário esse elevados rendimentos, conseguido através de milhares de horas de trabalho extraordinário, muito dele não pago.

 
Os aumentos de comissões junto dos clientes, colocam os trabalhadores da rede em confronto com estes mesmos clientes, tendo que justificar aumentos. Beneficiam os acionistas, aumentando os seus lucros próprios em detrimento dos salários pagos aos trabalhadores. Estes elevados lucros das Instituições da Actividade Financeira não justificam os custos operacionais, custo do trabalho nem o serviço prestado à população.
 
Um sector financeiro onde os lucros se medem em milhões, os trabalhadores da actividade financeira, os bancários, os técnicos, constatam todos os meses que os seus rendimentos do seu trabalho são cada vez mais escassos, com os preços a aumentar mês a mês, os trabalhadores ficam sem a capacidade para saldar os seus encargos.

Lutar por melhores condições de vida e trabalho.

O trabalho e os trabalhadores têm de ser valorizados e não tratados como peças descartáveis.
A luta dos trabalhadores continua a ser, como sempre, elemento decisivo para resistir, defender, repor e conquistar direitos.
É o primeiro acto de participação sindical de um trabalhador.

Ter voz activa nos locais de trabalho e na sociedade

O SINTAF possibilita aos trabalhadores seus associados ter uma voz activa capaz de representar e defender o colectivo de trabalhadores.
O desequilíbrio existente na relação de forças entre a administração e os trabalhadores é reduzido se estes estiverem sindicalizados.

 

 

Combatemos a precariedade

Os trabalhadores com vínculos precários vivem entre o despedimento fácil e a não renovação do contrato de trabalho - são vítimas de ameaças constantes - sujeitos a diversos constrangimentos, chantagens e perseguições - estão mais expostos à exploração laboral e a salários mais baixos. Trabalham e vivem com medo de serem substituídos. A resolução dos problemas dos trabalhadores passa pela sua unidade, organização e pela contratação colectiva que o SINTAF propõe.

O trabalho e os trabalhadores devem ser valorizados e não tratados como peças descartáveis.
A luta dos trabalhadores continua a ser, como sempre, elemento decisivo para resistir, defender, repor e conquistar direitos.
A sindicalização é o primeiro acto responsável do trabalhador.