SINTAF     -     Sindicato dos Trabalhadores da Actividade Financeira - sintaf@sintaf.pt     -    Telef. 218 124 992

Mesmo com chuva o SINTAF participou na Semana de Esclarecimento, Acção e Luta promovida pela CGTP-IN, em Lisboa. A vida dos trabalhadores tem vindo a piorar, há mais desemprego, mais precariedade, mais pobreza e exclusão social, os salários perdem poder de compra e a população continua com dificuldade no acesso ao Serviço Nacional de Saúde e aos equipamentos de apoio à família.

Cresce o número de trabalhadores a trabalhar por turnos e ao fim de semana, a implementação do banco de horas, aumenta ainda mais a jornada de trabalho, dificultando a conciliação do trabalho com a vida pessoal e familiar, deixando os trabalhadores sem tempo para viver.

Lisboa 28-06-2024

Lutar por melhores condições de vida e trabalho.

O trabalho e os trabalhadores têm de ser valorizados e não tratados como peças descartáveis.
A luta dos trabalhadores continua a ser, como sempre, elemento decisivo para resistir, defender, repor e conquistar direitos.
É o primeiro acto de participação sindical de um trabalhador.

Ter voz activa nos locais de trabalho e na sociedade

O SINTAF possibilita aos trabalhadores seus associados ter uma voz activa capaz de representar e defender o colectivo de trabalhadores.
O desequilíbrio existente na relação de forças entre a administração e os trabalhadores é reduzido se estes estiverem sindicalizados.

 

 

Combatemos a precariedade

Os trabalhadores com vínculos precários vivem entre o despedimento fácil e a não renovação do contrato de trabalho - são vítimas de ameaças constantes - sujeitos a diversos constrangimentos, chantagens e perseguições - estão mais expostos à exploração laboral e a salários mais baixos. Trabalham e vivem com medo de serem substituídos. A resolução dos problemas dos trabalhadores passa pela sua unidade, organização e pela contratação colectiva que o SINTAF propõe.

O trabalho e os trabalhadores devem ser valorizados e não tratados como peças descartáveis.
A luta dos trabalhadores continua a ser, como sempre, elemento decisivo para resistir, defender, repor e conquistar direitos.
A sindicalização é o primeiro acto responsável do trabalhador.